[ editar artigo]

A UBERIZAÇÃO DO PERSONAL TRAINER

A UBERIZAÇÃO DO PERSONAL TRAINER

Olá Personal Trainers!!!

Hoje vamos contextualizar um pouco algo que já vem acontecendo em muitos lugares, a UBERIZAÇÃO do Personal Trainer.

A cada dia vemos novos aplicativos sendo criados para estimular pessoas a praticarem exercícios e ao mesmo tempo monetizar o nosso serviço através do mundo on-line.

Será que devemos nos preocupar com isso?

De acordo com a ONU, o número de habitantes do planeta deve chegar a 9,7 bilhões de pessoas em 2050 e cerca de 11 bilhões em 2100; o crescimento desacelerou e a taxa de fertilidade deve continuar caindo.

Quase na mesma proporção que aumenta o número de habitantes, o número de pessoas inativas segue aumentando. Um em cada 4 adultos é sedentário, diz Organização Mundial da Saúde.

O que preocupa não é o número de aplicativos para praticar exercícios ou, se daqui um tempo, basta abrir o celular e chamar um Personal mais próximo de você, mas sim a qualidade do serviço entregue.

Uma boa referência são alguns aplicativos usados para se locomover nas cidades. Até hoje temos inúmeros problemas na qualidade do serviço prestado, principalmente pela demanda de oferta e procura.

Será que as pessoas no mundo estão tão motivadas para contratar um serviço de app para treinar on-line (sem supervisão) ou presencial (sem muita qualificação)? 

O nome já diz Personal Trainer = Treinador Personalizado; o qual busca adequar o programa de exercícios, de acordo com as necessidades do cliente para que o mesmo possa ter bons resultados e mesmo assim, muitas pessoas acabam por não fazer. 

Não estou criticando os apps, inclusive utilizo alguns com meus clientes, porém, se fosse tão animador treinar por aplicativos, será que não teríamos menos sedentários no mundo?

O ponto onde quero chegar é:  ao desenvolver um aplicativo ou programa ON-LINE de treinamento, além de estreitar as distâncias e possibilidades de maiores ganhos financeiros, quão eficiente e duradouro é o programa para seu futuro cliente? E ao aderir a um app de busca por profissionais, conseguiríamos uma DEMOCRATIZAÇÃO da nossa categoria, como profissionais:

  • Formados? 
  • Experientes?
  • Especializados?
  • Existiria uma faixas salarial mínima para hora/aula?
  • Quanto você estaria disposto DEIXAR em % para repassar ao app?
  • Poderíamos ser substituídos por um aplicativo?

Comente como você vê toda essa mudança nos próximos 5 ou 10 anos.

Um forte abraço e até a próxima!

ANDRE HAUER

Interação Fitness
ANDRE HAUER
ANDRE HAUER Seguir

Profissional de Educação Física; Mestre em Exercício e Saúde pela FMH Portugal; Eleito entre os 10 melhores treinadores do Brasil em 2016 pela WTTC; Especializado em atender pessoas que não praticam exercícios regularmente; CREF 7530-G/PR

Ler conteúdo completo
Indicados para você