[ editar artigo]

Recuperação Muscular

Recuperação Muscular

Recuperação Ativa e Recuperação Passiva.

Muitos desejam terminar uma maratona, meia maratona, ultra maratona ou
campeonato de Crossfit, porém não é nada fácil. Exige muita dedicação,
abdicações, disciplina e treino para que no grande dia esteja preparado e consiga alcançar seus objetivos.

O esforço é imenso e requer uma recuperação tão regrada quanto os treinos realizados. Para diminuirmos as consequências, tal como a dor muscular tardia, e ainda retornamos o mais rápido possível aos treinos, devemos realizar uma recuperação muscular, tanto ativa quanto passiva.

A recuperação ativa se realiza com alongamentos balísticos, que são alongamentos com movimentos gerando um estiramento, no qual sua amplitude final permite que chegue através de uma força gerada por contrações e relaxamento. Eles buscam a extensibilidade de todo tecido, os (trotes “soltos”) de baixa intensidade no plano ou na piscina, como forma de regeneração ou até mesmo outro esporte. Por exemplo a natação que permite uma carga baixa nas articulações.

Já a recuperação passiva, hoje tem muitos recursos para que ela aconteça de forma eficiente. Primeiramente, vamos falar das botas de compressão que estão sendo usadas tanto no esporte de alto rendimento como no amador profissional.

A bota tem como mecanismo comprimir e descomprimir através de câmeras de ar e é sua principal função através deste mecanismo, aportando mais sangue para sua perna. Com isso você estará realizando sua recuperação muscular, além de drenar, também podendo eliminar a retenção de líquido.

A massagem desportiva também tem papel importante na recuperação passiva, atuando tanto nos pontos gatilhos que são nódulos musculares instalados nas musculaturas ou na fáscia muscular de forma geral. A ação da massagem desportiva olhando para a fisiologia será de recuperar as fibras
musculares, eliminando os resíduos metabólicos, fazendo com que a drenagem sanguínea e a ativação da circulação aconteçam.

Outro método que ficou bastante conhecido após o nadador Michael Phelps na olimpíada aparecer pré prova com manchas roxas nas costas e ombro, se dá pela técnica milenar que tomou corpo no esporte chamada ventosaterapia , hoje bastante usada na recuperação passiva. São basicamente copos que aplicamos de acordo com os pontos gatilhos (ponto de dor) fazendo com que naquele local fique
hiperemiado (ativou maior fluxo sanguíneo no local) e libere a tensão, quanto mais roxo melhor, assim faz com que tenha uma resposta efetiva.

E para fechar os recursos mais usados, a famosa banheira de gelo, a “crioimersão” agindo no processo inflamatório realizando uma vasoconstrição.

Diante da recuperação passiva e ativa, ainda não podemos esquecer do volume de treino, “da luz que acende no seu corpo”, no processo fisiológico para que você não pare de treinar e sim condense apenas a carga, com uma alimentação balanceada e um sono apropriado.

E para finalizar, temos a convicção que você atleta amador que não vive do esporte,
mas vive para o esporte, que todas as suas ações no seu dia, ou mês, ou ano se baseie em cima da próxima prova, treino ou competição.

Isso faz com que você fique feliz e realizado, tendo sua recuperação muscular auxiliando no seu resultado.

 

Até a próxima!

Interação Fitness
Alexandre Jorge Leite
Alexandre Jorge Leite Seguir

Fisioterapeuta da seleção Brasileira de Basquete, Futebol Profissional (atualmente Fisioterapeuta do Coritiba Foot Ball Club).Cursos como medicina tradicional chinesa, FMS (functional movement screen), EXOS. Sócio proprietário da clínica Up Recovery.

Ler matéria completa
Indicados para você