[ editar artigo]

As principais lesões no futebol.

As principais lesões no futebol.

Vamos falar de um assunto corriqueiro!!! Mas que não deixa de ser curioso sempre.

Quais são as principais lesões acometidas num jogador de futebol e
como podemos minimizar o acontecimento delas?

O futebol nos dias atuais mudou completamente da época do Rei "Pelé". Isso se dá muito pelo desenvolvimento, primeiramente do material humano, e pelas capacidades físicas que o futebol proporciona. Um jogo mais rápido, com o processo tático implantado e pelo avanço tecnológico com ferramentas para o desenvolvimento do atleta.

No caso da minimização da lesão, existem alguns marcadores para que possa mapear o atleta e se cercar do risco, lembrando que é impossível você afirmar que o atleta não irá lesionar, pois ainda não temos uma bola de cristal. Não é mesmo!?

Mas irei citar alguns marcadores que se tornam necessários para a minimização da lesão que são:

  • A avaliação do movimento que visa a funcionalidade do corpo como um todo;
  • O isocinético que gradua o nível de força que ele está, as diferenças que apresenta entre os membros e a relação do músculo agonista e antagonista;
  • A termografia que hoje está sendo bem usada, que possibilita mapear o local que está mais inflamado após uma partida por exemplo;
  • O CK, que é uma enzima presente em vários tecidos e tipos de célula que indica o quanto o atleta apresenta um processo inflamatório.

Falando das lesões:

Podemos pensar nos traumas (as famosas colisões), mas como já disse acima, a demanda do futebol moderno são as lesões musculares, e porque acontece isso?

O corpo dentro do esporte não está pronto fisiologicamente para responder a tanto estímulo, e quem paga o preço são os músculos, no caso o músculo posterior.  Imagine que num jogo o atleta dependendo da posição que ele atua é capaz de chegar a Sprint de mais de 20km por hora e de repente ele tem que frear, e logo em
seguida mudar de direção e novamente acelerar, isso chama se  imprevisibilidade que o esporte demanda.

Seguido o entorse, se dá muito pela falta de estabilidade que capacita a resposta motora mais “rápida” tendo aquele feedback e o estímulo proprioceptivo.

E para finalizar, as tendinopatias que são processos crônicos que aparecem por uma sobre carga de treinamento e jogos.

Sem falar nos fatores habituais e externos:

  • O sono (respeitar o horário fisiológico), fazer aquela reparação celular enquanto dorme no hora que é produzido;
  • A alimentação (uma dieta balanceada e específica para o objetivo do atleta);
  • O trabalho físico específico a ele, verificando as debilidades que ele possui;
  • O preventivo, treino no qual é colocado gestos que irá promover no jogo;
  • Recovery sempre atento na recuperação evitando fadiga, trigger points e deixando aquela famosa perninha leve;
  • Saúde emocional, estar preparado para a pressão que ele exerce e a auto sabotagem como por exemplo a "ansiedade";
  • Campo que ele treina e joga que permita condições favoráveis;
  • Família apoiando (pais e esposa sempre ajudando incentivo e não querendo só usufruir dos benefícios);
  • Empresário (dando o suporte e resolvendo todas as burocracias que o atleta tem para conseguir trabalhar).

Olhando para classificação das lesões musculares, ela se classifica em
grau 1, grau 2 e grau 3. Dentro de cada lesão tem o seu tempo de cicatrização, retirada da dor, gestos gerais como mobilidade, flexibilidade, força, estabilidade, pliometria, propriocepção e enão os gestos específicos.

Só lembrando que as lesões de LCA (ligamento cruzado anterior) se
lesionam sozinho.

Porque digo isso? Porque o maior competidor do atleta é o futebol moderno que
exige muito físico, como já dito acima, e a sua mente que te sabota a todo momento.

Até a próxima!

 

Interação Fitness
Alexandre Jorge Leite
Alexandre Jorge Leite Seguir

Fisioterapeuta da seleção Brasileira de Basquete, Futebol Profissional (atualmente Fisioterapeuta do Coritiba Foot Ball Club).Cursos como medicina tradicional chinesa, FMS (functional movement screen), EXOS. Sócio proprietário da clínica Up Recovery.

Ler matéria completa
Indicados para você