[ editar artigo]

COMO ESTE JAPONÊS MUDOU NOSSA FORMA DE PRESCREVER OS TREINOS?

COMO ESTE JAPONÊS MUDOU NOSSA FORMA DE PRESCREVER OS TREINOS?

O Japão sempre nos influenciou de várias formas: Cavaleiro dos Zodíacos, Hot Filadelfia, Godzilla, Dragon Ball, Nissin Miojo, Pokemon, etc. E por que no fitness seria diferente? 

Há mais de 20 anos, um professor chamado Izumi Tabata desenvolveu inúmeros estudos relacionando treinamento intervalado de alta intensidade (HIIT) e Vo2Máx (capacidade máxima do corpo de um indivíduo de transportar e metabolizar oxigênio durante um exercício físico ). Decorrente da grande repercussão dos resultados, esse procedimento ficou mundialmente conhecido como "Protocolo Tabata". 

Atualmente é muito difícil de achar um professor de Educação Física que desconhece esse protocolo de treinamento, já que este protocolo foi citado em mais de 780 artigos, somente no American College of Sports Medicine (ACSM). 

OK! MAS QUAIS AS VANTAGENS DE UTILIZAR ESTE PROTOCOLO COM MEUS ALUNOS?

Além de otimizar o tempo do seu cliente e consequentemente o seu, também pode acelerar determinados objetivos estabelecidos, como: (1) melhora na resposta à insulina, (2) diminuição do percentual de gordura, (3) aumento da resistência muscular, (4) melhora da capacidade cardiorrespiratória, (5) manutenção da massa magra, etc.

MAS COMO "NEM TUDO SÃO FLORES"... QUAIS AS DESVANTAGENS DE UTILIZAR ESSE PROTOCOLO COM MEUS ALUNOS?

Um grupo de pesquisadores já publicou alguns questionamentos em relação a verdadeira "aplicabilidade" do Protocolo Tabata na realidade das pessoas que buscam o fitness como qualidade de vida e não performance.

O protocolo desenvolvido por Izumi Tabata sugere a realização com 170% de VO2max, ou seja, uma intensidade extremamente alta para qualquer ser humano. Para você entender melhor, essa intensidade seria algo parecido como: correr 400 metros em 52 segundos... 8 vezes!!

Seguir literalmente o Protocolo Tabata é um pouco utópico para realidade comercial do fitness, pois é pouco provável que um aluno consiga manter as mesmas taxas de intensidade ao longo de todo protocolo. Além da intensidade em relação ao Vo2Máx, temos outro fator: fadiga periférica. O Protocolo Tabata foi originalmente desenvolvido em uma bicicleta ergométrica, o que provoca uma enorme fadiga dos membros inferiores, interferindo na intensidade do protocolo.

MAS POR QUE EXISTEM TANTOS "TABATAS" DIFERENTES NO MERCADO?

Existem vários fatores, mas levo minha atenção para a superficialidade do conhecimento sobre a pesquisa e a aplicabilidade correta do protocolo desenvolvido por Izumi Tabata. Muitos professores acreditam que  a chave do sucesso está na intensidade do exercício, negligenciando outros fatores que tornaram o Protocolo Tabata tão eficaz.

Se fosse para destacar as características mais relevantes do protocolo para serem focadas, colocaria: (1) Conseguir chegar nessa intensidade sugerida; (2) Manter uma constância na zona de treinamento sugerida.

ENFIM! DEVO OU NÃO DEVO USAR O PROTOCOLO TABATA COM MEUS CLIENTES?

Deve e muito! Muitos estudos positivos surgiram com as "tentativas" de chegar na intensidade sugerida por Izumi Tabata, e consequentemente, tentar permanecer nesse ritmo de trabalho por 8 ciclos (4 minutos) resultou em resultados significativos sobre vários aspectos fisiológicos. 

Por fim, pense que o Protocolo Tabata é uma referência de trabalho, ou seja, as tentativas que você fará com seu cliente para tentar entrar ou permanecer na intensidade sugerida, poderá promover resultados significativos ao seu trabalho.

 

Até mais!

 

Interação Fitness
Felipe Kutianski
Felipe Kutianski Seguir

Educador físico, pós-graduado em Bioquímica e Hatha yoga. Pioneiro da Calistenia na cidade de Curitiba, onde atua como Head coach da Mahamudra Brasil, mantendo uma conexão única entre: Corpo, Mente, Espírito e Natureza.

Ler matéria completa
Indicados para você