[ editar artigo]

Crossfit Esporte Vs. Crossfit Lifestyle

Crossfit Esporte Vs. Crossfit Lifestyle

O brasileiro está preparado para a complexidade desses movimentos?

Diferente do que estamos acostumados a ver nas redes, onde encontramos profissionais, até mesmo os que ocupam boas cadeiras e são considerados referência na área, trocando farpas, xingamentos, calúnias e críticas uns aos outros de forma escrachada, onde há pouco espaço pra debate, critica-se cegamente  e cria-se uma briga eterna por verdades absolutas.

Acredito que somos uma área clubista, onde você vai encontrar o time dos que são a favor de algumas metodologias, e os que são contra. Proponho que coloquem seus pré-conceitos de lado e abram a mente para novos questionamentos, para  ponderarmos  os benefícios/malefícios de certos temas e metodologias  e expor  os dois lados da moeda.

Precisamos considera  os riscos/benefícios, ser os  que falam com calma e respeito, e os que percebem que até o que um dia foi dado como inútil e estúpido pode sim, ser útil em alguns casos, desde que você saiba exatamente o porque.

Crossfit por si só é um tema clubista. Os que idolatram e salvam vidas, e os que acham uma estupidez totalmente lesiva. Mas hoje eu estou aqui pra falar apenas de 1 tema dentro desse universo: Complexidade de Movimento. Você já ouviu de alguém:

“Crossfit machuca porque os exercícios são muito complexos. São mirabolantes, difíceis e não servem pra nada.”

Você já parou pra pensar no contexto do que isso quer dizer? Bom, temos alguns pontos pra ponderar aqui.

1 - Herança Cultural Esportiva

O Crossfit foi criado por uma americano nos 2000. Os Estados Unidos é um dos países com maior herança cultural esportiva do mundo. Eles são o país com o maior número de medalhas da história, somando um total de 2.827 medalhas, sendo estas 1.022 de ouro nas olimpíadas de verão. Atrás deles no quadro total vem a União Soviética com 1.204 medalhas totais (o equivalente a 36% das medalhes do primeiro colocado).

Se a gente somar as 555 medalhas da atual Rússia esse numero chega a pouco mais que 60%. E o Brasil? O Brasil tem 129 medalhas, ocupando o 36º lugar no Ranking. Isso representa um pouco mais de medalhas do que os Estados Unidos conquistou de medalhas de OURO apenas nas Olimpíadas de Inverno (105). Percebem a discrepância?

Então, com todo esse investimento no esporte, contato desde os primeiros anos de idade, quem são os que vão desenvolver um melhor padrão motor, maior consciência corporal, base física nos anos futuros de prática esportiva? Com quantos esportes as crianças americanas entraram em contato até aos 18 anos vs. As brasileiras? E com qual profundidade esses fundamentos foram ensinados?
Ou seja: Esses tais movimentos são complexos pra qual público?

2 - A especificidade do Esporte

De novo, esse tema deriva do de cima, quais são os fundamentos do Crossfit? Endurance, movimentos ginásticos e levantamentos de peso. Quantos de nós tivemos contato com alguns desses esportes na infância? Vou além, quantos de nós tivemos a oportunidade de estudar essas modalidades na faculdade? Com que profundidade, por quanto tempo?

É só lembrar que o Brasil é o país do futebol, faça essas mesmas perguntas agora em relação ao Futebol! Para alguns públicos pensar em chutar uma bola é complexo.

3 - Ideais Popularizados/ Marketing

O que se vende é diferente do que se estuda. Muitas academias estão preocupadas muito mais o número de alunos pagantes do que com a metodologia que se está sendo aplicada.

Se você for buscar nas apostilas da Crossfit o processo de ensino inicia-se com os movimentos básicos, a maioria do chão, realizados com controle e força. Se você estudou um pouquinho sabe que esse início não significa que depois de um mês de treino você já pode sair por ai tentando um Muscle up.

Mas há muito a ideia de agradar o aluno e oferecer a experiência que ele viu na TV, que é aquele atleta que treina há anos com o intuito de se tornar campeão. Parece utópico que ninguém compraria uma prancha de surf e cairia na água achando que vai ser o Gabriel Medina, mas a modalidade ganhou tantos adeptos em tão pouco tempo que criou no imaginário social essa possibilidade, e ela foi reproduzida midiaticamente e comercialmente até ela ser potencializada. Ou seja, já temos um público que teve pouco contato com movimento durante sua vida, misturado com o imediatismo de resultados. A culpa ainda cai sobre o fato dos movimentos serem complexos?

4 - Objetivos: Crossfit Esporte Vs. Crossfit Lifetyle - *Aulas em grupo


É preciso considerar que Crossfit se tornou um esporte, as pessoas praticam com fins competitivos. Isso significa que existem pré-requisitos. Uma atleta pra praticar ginástica olímpica precisa saber fazer um duplo carpado. Um atleta pra competir no Crossfit precisa saber fazer um Muscle Up.

Para que eles serviriam na sua vida pensando saúde qualidade de vida? A modalidade como já citei, cresceu sem freios em muito pouco tempo e agradou a muitos que não se sentiam bem nas academias, ofereceu um espaço sem espelhos, sem séries metódicas e máquinas, inicialmente com muito menos preconceito com quem estava começando (diferente dos olhares de julgamento das academias convencionais), inicialmente com o intuito de ter como objetivo a melhora do condicionamento, e não a estética.

As aulas em grupo criaram um senso muito grande de comunidade e pertencimento aos alunos. Nas aulas é preciso que o professor consiga distinguir quais são os alunos com interesses competitivos, quais não. E as aulas em grupo criaram um sentimento de comunidade e pertencimento, as pessoas querem estar naquele ambiente. E querem aprender aqueles movimentos e não outros. Você vai estar preparado pra ensiná-los e instruí-los ou é  melhor só dizer que é difícil?

Com um pouco de conhecimento conseguimos até convencê-los a optar por exercícios com um melhor custo/benefício inicialmente até construirmos uma base segura pra movimentos que exijam mais amplitude, coordenação e estabilidade.

5- Momento Atual


O mundo mudou muito em pouquíssimo tempo, vivemos um conflito real de gerações. Mas uma coisa é certa: continuamos aquela sociedade crítica em busca de perfeições utópicas, acreditamos que quanto mais temos/treinamos, mais evoluiremos, e mascaramos um senso de trabalho em equipe por uma competição interna sem escrúpulos pra sermos o melhor, em tudo.

Chamo isso de uma busca por resultados  a qualquer custo, a indústria dos procedimentos estéticos se apoia nisso a anos e a educação física faz o mesmo com o slogan de saúde e qualidade de vida. O Crossfit caiu na mesma rede, apesar das aparentes boas intenções iniciais. Somos competidores inatos, o mundo do esporte nos moldou assim, em busca da glória  infinita.

MAS, o esporte também transformou vidas, ensinou as pessoas que ela são muito mais capazes do elas imaginam e o domínio do próprio corpo está em alta, percebemos que é possível ter um bom condicionamento e ter experiências incríveis através do esporte mesmo não sendo atletas de alto rendimento. As pessoas desejam cada vez mais ter experiências motoras variadas, ser mais fortes, mais  rápidas, mais ágeis, por que privar elas disso? Esteja pronto pra guiá-las, seja franco e ponderado no processo de ensino. Um exercício que você considera modismo inútil pode ser o ponto chave pra mudança da confiança de alguém em relação a ela mesma, pense grande!


E ai, depois de ler tudo isso, você ainda acha válido criticar algo de olhos fechados?

Você imagina o número de pessoas que saíram do sedentarismo e iniciaram a prática de atividade física pelo simples fato de ser algo mais complexo do que você estava acostumado? Não seria melhor irmos atrás de mais informação pra aumentar nosso KnowHow e, assim, poder balancear o que nossos alunos precisam vs. O que eles querem? Como podemos os influenciar de forma positiva sem que eles tenham medo ou até raiva de se exercitarem? 

Não seria mais plausível termos informações pra poder explicar de forma categórica os prós e contras e expor algumas verdades pra que eles mesmo decidam se querem ou não. Na era da Lipo HD e gel redutor nós vamos gladiar entre nós mesmo?


Enfim, questionamentos... !

 

*Os textos produzidos pelo colaborador não expressam, necessariamente, a opinião dos outros participantes da comunidade, sendo 100% de responsabilidade do autor.

Interação Fitness
Luiza Todesco Toledo Barros
Luiza Todesco Toledo Barros Seguir

Bacharel em Ed Física UP/ 2018 Coach Lvl 1 Crossfit / 2016 Arbitra Nacional de LPO / 2017 Tradutora esportiva / Seminários 2018/2019 Klokov Tour Brasil Preparação Esportiva - Summit 2019 e Camp de Prep Fisica RR Apaixonada por movimento!

Ler conteúdo completo
Indicados para você