[ editar artigo]

Encurtamento Muscular. Como funciona?

Encurtamento Muscular. Como funciona?

E aí pessoal! Seguiram pensando em tudo que falei nos últimos posts?

Você ainda pensa que somente pessoas sedentárias podem apresentar encurtamentos musculares?

Sedentários ou aqueles que se mantem em um posicionamento por longos períodos (como ficar horas de frente para um computador todo dia) têm grandes chances de terem algum encurtamento muscular. 

Mas porque isso? Nosso corpo sempre busca o melhor desempenho com o mínimo de esforço. Sendo assim, a medida que não utilizamos qualquer estrutura, nosso corpo “entende” que não precisa daquilo. Com isso, ele se adapta na posição que tenha menor demanda. Nesse caso, na posição que utiliza menos amplitude de movimento.

O encurtamento muscular é também muito comum em pessoas que praticam musculação e outros tipos de atividades físicas que envolvam movimentos curtos, sem trabalhar movimentos amplos. 

O que isso significa? Caso não utilizemos a máxima amplitude de movimento disponível, nosso corpo entenderá que não precisamos dessa amplitude e irá se adaptar para a menor amplitude.

Sendo assim, por uma avaliação é possível definir quais estruturas estão restringindo o movimento e quais tipos de técnicas de alongamento são indicadas. 

Entre as técnicas de alongamento, já falamos por aqui sobre alongamentos passivos e ativos, mas existem diversas outras usadas por educadores físicos e fisioterapeutas, como por exemplo o alongamento isométrico, dinâmico, do tipo contração-relaxamento etc. 

Agora falaremos um pouquinho sobre o alongamento por facilitação neuromuscular proprioceptiva. 

As técnicas de FNP, como também são conhecidas (ou alongamento ativo ou facilitativo), integram de propósito contrações musculares ativas nas manobras de alongamento, para facilitar ou inibir a ativação muscular e aumentar a possibilidade de que o músculo a ser alongado permaneça o mais relaxado possível durante o procedimento.

A explicação tradicional para os mecanismos que fundamentam o alongamento com FNP é a ocorrência de um relaxamento reflexo durante as manobras de alongamento, decorrente da inibição autogênica ou recíproca. 

A inibição, por sua vez, leva a uma diminuição na tensão das fibras musculares e, portanto, a uma diminuição na resistência ao alongamento oferecida pelos elementos contráteis do músculo ao ser alongado. Ou seja, o alongamento ocorre pelo estiramento dos tecidos do corpo, afastando a origem do músculo da inserção.

A manutenção da qualidade contrátil é fundamental para todas as atividades funcionais do dia a dia porque utilizamos os músculos para todas as nossas necessidades, seja locomoção, comunicação e linguagem falada, escrita ou corporal, alimentação, ou qualquer outra coisa. 

Cabe destacar ainda, que um músculo forte é também mais resistente e flexível, o que contribui para quem se dedica às atividades físicas diariamente.  

Vamos continuar conversando sobre esses temas e vamos pensando sobre os conceitos básicos sobre alongamentos, mobilidade, flexibilidade e etc!

Para entender um pouco mais sobre o assunto, veja meus textos anteriores onde falo sobre AQUECIMENTO, TRADUÇÃO DE ARTIGOS, e AMPLITUDE DE MOVIMENTO

Um forte abraço!

*** Esta série de textos foi escrita em parceria com a Fisioterapeuta Karina Bertoldi, Presidente da Liga Acadêmica de Cinesiologia Clínica e Biomecânica da PUCPR.

Interação Fitness
Leandro Zen Karam
Leandro Zen Karam Seguir

Fisioterapeuta , M.Sc. e Ph.D. Professor da PUCPR. Empreendedor. Triatleta e Ironman. Obstinado pelo Equilíbrio da Vida. Coach de Desenvolvimento Pessoal. Tentando Hackear o Cérebro em 100%.

Ler matéria completa
Indicados para você